Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Descubra as Aldeias Históricas de Portugal

Viaje connosco pelas Aldeias Históricas de Portugal, um tesouro escondido no Portugal profundo, todas as segundas-feiras, a partir das 18 horas.

Descubra as Aldeias Históricas de Portugal

Viaje connosco pelas Aldeias Históricas de Portugal, um tesouro escondido no Portugal profundo, todas as segundas-feiras, a partir das 18 horas.

www.aldeiadaminhavida.blogspot.com

A primeira Feira Medieval Portuguesa...

01.06.09, aldeiashistoricasdeportugal
imagem retirada da internet ...Nasceu em Castelo Mendo! Castelo Mendo tinha uma importância estratégica para a defesa das terras da margem esquerda do rio Côa, especialmente dos castelhanos. A fim de atrair população a esta terra para ser defendida, em 1229, D. Sancho II tem a preocupação em atrair clérigos, leigos com a criação de privilégios, de (...)

Feira Medieval de Castelo Mendo

20.04.09, aldeiashistoricasdeportugal
Durante dois dias (18 e 19 de Abril) a Aldeia Histórica Castelo Mendo ( situada no concelho de Almeida) transformou-se no palco de recriação de tempos medievais, onde o povo, os mercadores, cavaleiros, os senhores feudais, músicos, entre outros, animaram as suas ruas com alegria d´outrora.

...

02.03.09, aldeiashistoricasdeportugal
Depois de uma excelente estadia nas Casas do Coro e de um café da manhã de chorar por mais, está na hora de retomar a última etapa da nossa visita a esta aldeia de Marialva, como Saramago disse: «o lugar bruxo onde o passado nos diz “Aqui estou” e fica a olhar-nos, em silêncio à espera ». Aqui estamos nós, então no alto da Cidadela em ruínas (onde ninguém mora desde princípios do séc. XIX), dentro das muralhas do castelo cujo formato de um barco convida-nos a (...)

...

02.03.09, aldeiashistoricasdeportugal
Depois de uma excelente estadia nas Casas do Coro e de um café da manhã de chorar por mais, está na hora de retomar a última etapa da nossa visita a esta aldeia de Marialva, como Saramago disse: «o lugar bruxo onde o passado nos diz “Aqui estou” e fica a olhar-nos, em silêncio à espera ». Aqui estamos nós, então no alto da Cidadela em ruínas (onde ninguém mora desde princípios do séc. XIX), dentro das muralhas do castelo cujo formato de um barco convida-nos a (...)