Viaje connosco pelas Aldeias Históricas de Portugal, um tesouro escondido no Portugal profundo, todas as segundas-feiras, a partir das 18 horas.

www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
04
Mai 09
Este fim de semana foi inesquecivel. Fomos à feira da Divina Santa Cruz, em Monsanto, uma das Aldeias Históricas de Portugal, situada no concelho de Idanha-a-Nova.
Descubra um pouco mais clicando aqui.



publicado por aldeiashistoricasdeportugal às 16:27

Como dissemos na semana passada, decidimos fazer uma pausa para o almoço, antes de continuarmos a visita pelo Picadeiro D´El Rei.

A gente cá da terra, de Almeida recomendou-nos um restaurante, o "Granitus" localizado fora das muralhas, em frente à porta de S. Francisco e ao Largo 25 de Abril.

No caminho para lá, passámos por uma rua muito curiosa, onde encontrámos, por acaso o Sr. Júlio Monteiro a abrir o portão da sua garagem, onde não deixámos de olhar, com admiração. O interior da garagem está completamente forrado com peças antigas , como alqueires, chaves, ferraduras entre outras, de variados tamanhos e feitios. Trata-se de uma colecção particular, com mais de cem peças, de entre as quais se destaca a mais antiga com a data de 1850.
Ora vejam:


É preciso ter muita dedicação e gosto para ter uma colecção destas em casa! Que continue, por muitos anos a coleccionar estas relíquias fora de série. Quem sabe, poderá nascer daqui um museu, para todos apreciarem esta imensa colecção.
Vamos deixar o Sr. Júlio para irmos então almoçar!

Cá estamos nós , bem instalados nesta casa cor de rosa “Granitus”, mesmo para um almoço de reis: Como éramos três , pedimos a seguinte ementa:
Começámos por deliciar-nos com uma sopa de legumes, em seguida escolhemos dois pratos, Nacos de Vitela (1 dose) e Bacalhau com molho de camarão (1 dose) acompanhados com um bom vinho tinto da região (da cidade de Pinhel):


Humm… que cheirinho…dá água na boca… vejam ( os olhos também comem):
Para sobremesa escolhemos uma mousse de laranja e um Doce da Casa e tomámos um cafezinho.

Tudo isso, valeu bem os euros que gastámos. Para um casal seriam 28,50 € .
Bem, depois deste delicioso almoço, estamos prontíssimos para continuar a nossa visita, em direcção ao Picadeiro D´El Rei, que se segue já no próximo post.
publicado por aldeiashistoricasdeportugal às 15:42

Depois desse almoço, estamos prontos para continuar a visita. ao Picadeiro D´El Rei, situado no Revelim de Nossa Senhora das Brotas.


Trata-se de um edifício que teve diversas utilidades ao longo dos tempos. Entre os séculos XVIII e XIX começou por ser utilizado como arsenal e armazém de artilharia, onde existiam forjas para a manufactura e reparação de equipamento de guerra. Funcionou como Quartel de Destacamento de Artilharia e, posteriormente foi adaptado para o fabrico de pão. Em 1998 transformou-se numa Escola de Equitação.


Seja ao ar livre ou no picadeiro coberto, é possível praticar actividades ligadas à arte equestre.
Assim como encontramos o alojamento de cavalos, preparados para o efeito.


Por apenas 12€, uma família de quatro pessoas pode desfrutar de um passeio de Charrete pelas ruas de Almeida .Basta fazer uma marcação de reserva .
Para mais informações, clique aqui.

Seguimos para outras bandas, em direcção às ruínas do antigo castelo medieval de Almeida, no post seguinte.
publicado por aldeiashistoricasdeportugal às 15:27

Seguimos para outras bandas, em direcção às ruínas do antigo castelo de Almeida.

É verdade! Em Almeida antes de construirem a Praça Forte em formato de estrela , existia um castelo quinhentista , com uma torre de menagem e uma muralha .Tendo origem árabe, as fundações terão sido reaproveitadas para ser erigido um castelo medieval no tempo de D. Dinis. O castelo foi sofrendo várias remodelações e ampliações ao longo dos tempos: em 1369, a mando de D. Fernando e no tempo de D. Manuel I. Imagem retirada da internet


A muralha do castelo tinha duas cinturas, sendo a interior em forma de trapézio rectangular, com apenas uma porta para o exterior, que atravessava o fosso, e quatro torres arredondadas.



Imagem retirada da internet


Durante o domínio Filipino, o castelo entrou em decadência, pela falta de cuidados e de conservação do mesmo. Após a restauração da Independência, no reinado de D. João IV, dada a ineficiência do castelo, houve a necessidade de se construir um novo sistema defensivo baseado no modelo abaluartado, sob o projecto do engenheiro francês Antoine Devilhe. Essa construção apenas ficou concluída no século XVIII, da qual resulta a fortaleza em formato de estrela, considerada como "um dos maiores expoentes da arquitectura militar abaluartada em Portugal".



Do castelo medieval, actualmente encontramos apenas ruínas , onde apenas se reconhece a planta e o fosso original devido a uma violenta explosão de pólvora armazenada no recinto, aquando da terceira invasão francesa.

O mesmo destino teve a antiga Igreja Matriz, que ficou totalmente destruída. Sobre as ruínas da Igreja foi alçada a Torre do Relógio.

Segue-se caminho em direcção à Pousada de Nossa Senhora das Neves. Trata-se de um edifício recentemente remodelado para prestação de serviços de hotelaria e de restauração, que foi erguido sobre o antigo Quartel de Cavalaria, também denominado de Santa Bárbara. Esse antigo quartel terá funcionado até 1927, quando o último Esquadrão de cavalaria abandonou a Almeida.

Escultura da Senhora das Neves à entrada da Pousada

Bem, a visita está muito agradável, mas convido-os a repousar um pouco nesta pousada. Sugiro-vos a continuar a visita por Almeida na próxima segunda feira.

Até lá, desejo a todos uma óptima semana.
publicado por aldeiashistoricasdeportugal às 13:58
tags:

Seguimos para outras bandas, em direcção às ruínas do antigo castelo de Almeida.

É verdade! Em Almeida antes de construirem a Praça Forte em formato de estrela , existia um castelo quinhentista , com uma torre de menagem e uma muralha .Tendo origem árabe, as fundações terão sido reaproveitadas para ser erigido um castelo medieval no tempo de D. Dinis. O castelo foi sofrendo várias remodelações e ampliações ao longo dos tempos: em 1369, a mando de D. Fernando e no tempo de D. Manuel I. Imagem retirada da internet


A muralha do castelo tinha duas cinturas, sendo a interior em forma de trapézio rectangular, com apenas uma porta para o exterior, que atravessava o fosso, e quatro torres arredondadas.



Imagem retirada da internet


Durante o domínio Filipino, o castelo entrou em decadência, pela falta de cuidados e de conservação do mesmo. Após a restauração da Independência, no reinado de D. João IV, dada a ineficiência do castelo, houve a necessidade de se construir um novo sistema defensivo baseado no modelo abaluartado, sob o projecto do engenheiro francês Antoine Devilhe. Essa construção apenas ficou concluída no século XVIII, da qual resulta a fortaleza em formato de estrela, considerada como "um dos maiores expoentes da arquitectura militar abaluartada em Portugal".



Do castelo medieval, actualmente encontramos apenas ruínas , onde apenas se reconhece a planta e o fosso original devido a uma violenta explosão de pólvora armazenada no recinto, aquando da terceira invasão francesa.

O mesmo destino teve a antiga Igreja Matriz, que ficou totalmente destruída. Sobre as ruínas da Igreja foi alçada a Torre do Relógio.

Segue-se caminho em direcção à Pousada de Nossa Senhora das Neves. Trata-se de um edifício recentemente remodelado para prestação de serviços de hotelaria e de restauração, que foi erguido sobre o antigo Quartel de Cavalaria, também denominado de Santa Bárbara. Esse antigo quartel terá funcionado até 1927, quando o último Esquadrão de cavalaria abandonou a Almeida.

Escultura da Senhora das Neves à entrada da Pousada

Bem, a visita está muito agradável, mas convido-os a repousar um pouco nesta pousada. Sugiro-vos a continuar a visita por Almeida na próxima segunda feira.

Até lá, desejo a todos uma óptima semana.
publicado por aldeiashistoricasdeportugal às 13:58

無料カウンター
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO
blogs SAPO